Monday, July 28, 2008

nós

nós permanecemos com as mãos pousadas
sobre a terra
e a terra habita-nos dentro das mãos.
contemplamos o voo a dissolver-se
nas rugas do mar,
desfiamos a violência dos erros
e paramos de falar quando alguém passa
porque temos a boca suja
com segredos menstruados.

in Uma Devastação Inteligente